CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

The Film Handbook#56: Joe Dante



Joe Dante
Nascimento: 28/11/1946, Morristown, Nova Jersey,
Carreira: 1976-

Ainda que sua carreira tenha recentemente se interconectado com a de Steven Spielberg, os filmes de Joe Dante são marcados menos pelo sentimentalismo que por um anárquico humor negro e maciça cinefilia, típica da escola de filmes-B de Corman de onde originalmente emergiu.

Um fã afiado de desenhos animados e ficções-científicas, Dante passou de montador de trailers para a New World de Corman para dirigir (com Alan Arkush) Hollywood Boulevard. Auto-consciente paródia  trash de baixo orçamento dos métodos de produção da New World, suas intermináveis piadas internas deram pistas da obra posterior de Dante. Também realizado por Corman, sua estreia solo, Piranha, com monstros comedores de humanos por militares realizando práticas destrutivas em um acampamento de verão, apresentava um despretensioso roteiro de John Sayles parodiando Tubarão/Jaws. Grito de Horror/The Howling (também escrito por Sayles) foi ainda mais longe, nomeando personagens a partir de diretores de filmes de horror como Terence Fisher ou Freddie Francis e bagunçando sua contemporânea história de suspense e lobisomem com astuciosas referências a Chapéuzinho Vermelho, Uivo de Ginsberg e o disc-jóquei cult Wolfman Jack.

Após contribuir com um episódio genuinamente inventivo de No Limite da Realidade/Twilight Zone The Movie (curiosamente, um rapaz com poderes efeitos telecinéticos aterroriza sua família invocando monstros inspirados pelo enorme tempo que passava assistindo desenhos animados), Dante teve seu primeiro grande sucesso com Gremlins>1. Produzido por Spielberg, seu começo, com um rapaz dando um bichinho de pelúcia fofo de natal, é tipicamente lacrimoso em seu tom, porém quanto mais o filme avança, mais o próprio humor anárquico de Dante domina: o bichinho de pelúcia produz uma prole de seres endiabrados que destroem um cenário de cidadezinha tipicamente spielberguiano, e tanto Do Mundo Nada se Leva/It's a Wonderful Life de Capra quanto Branca de Neve e os Sete Anões de Disney são impiedosamente satirizados. Porém, a despeito da soberba fotografia e efeitos especiais, a ética do filme não é nada honrosa: a violência sem fim das animações, enredo parco e alegre destruição amoral constituindo um ataque em grande escala a sentimentalidade lacrimogênea do filme.

O fascínio de Dante com os efeitos especias e a iconografia televisiva teve seu auge em Viagem ao Mundo dos Sonhos/Explorers>2 que inicia como uma tradicional e charmosa fantasia infantil que explode em humor surreal quando seus meninos-heróis encontram alienígenas inesquecivelmente feios cujo conhecimento da cultura terráquea é completamente derivada da televisão: a comunicação se torna impossível com os alienígenas citando aleatoriamente diálogos de W.C.Fields, Pernalonga, Marilyn Monroe e convidados de programas de entrevistas. Menos criativos, Viagem Insólita/Inner Space transformou seu estilo Viagem Fantástica de um submarino minúsculo flutuando ao redor da corrente sanguínea de um homem apatetado e nervoso em sátira pastelão, sendo a paródia demasiado rasteira e fácil para ser incisiva e seu ritmo agitado por fim se tornando enfadonho. Vinculado a um forte roteiro, o anárquico humor negro de Dante e paródias de estereótipos cinematográficos  é uma alternativa deliciosamente criativa à pieguice manipulativa de Spielberg; Viagem Insólita, no entanto, demonstrou que seu frágil senso de trama pode resultar ocasionalmente em indulgente caos e irritantes private jokes.

Cronologia
As celebrações surrealmente destrutivas de Dante são parcialmente inspiradas no animador Chuck Jones (que surge em diversas pontas de seus filmes); sua dívida para com Corman (visto em Grito de Horror) é admitida na frequente escalação de Dick Miller em seus elencos. Seu senso cômico permite comparações com Paul Bartel e a equipe de Apertem os Cintos - O Piloto Sumiu/The Airplane de Jerry e David Zuckar e Jim Abrahms, para quem Dante dirigiu episódios da sátira televisiva Police Squad.

Destaques
1. Gremlins, EUA, 1984, c/Zach Galligan, Hoyt Axton, Phoebe Cats

2. Viagem ao Mundo dos Sonhos, EUA, 1985 c/Ethan Hawke, Jason Presson, River Phoenix

Texto: Andrew, Geoffrey. The Film Handbook. Londres: Longman, 1989, pp. 70-1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário