CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Filme do Dia: Na Fronteira do Estado (1910), D. W. Griffith



Na Fronteira do Estado (In The Border States, EUA, 1910). Direção: D.W. Griffith. Rot. Original: Stanner E.V. Taylor. Fotografia: G.W. Bitzer. Com: Charles West, Gladys Egan, Francis J. Grandon, John T. Dillon, Dell Henderson, Dorothy West.
Na época da Guerra da Secessão,  jovem pai (West) parte deixando a família em prantos. A mais jovem de suas duas filhas (Egan) acoberta um soldado (Dillon) confederado por piedade. Quando o pai procura refúgio em sua própria casa, tendo um grupo de confederados em seu encalce, a irmã mais velha vai buscar socorro. A mais jovem é surpreendida pela invasão de um soldado confederado ao quarto. Quando ele ameaça matar o pai da garota a reconhece como a benfeitora que lhe auxiliou em momento de desespero e finge para os colegas do exército que o homem já se encontra morto. Logo, chega um médico (Grandon) e toda a família volta a se reunir sob o mesmo teto.
O universo da guerra civil era recorrente na filmografia de Griffith seja como pano de fundo ou motivo principal e,  sempre ancorado em uma fábula moral de veio eminentemente melodramático, aqui fazendo menção a saber reconhecer diante da vida, entre fugazes momentos de vitória ou derrota, quem foi solidário. É a dimensão dos sentimentos pessoais se sobrepondo a qualquer dimensão histórica ou política mais acurada que demonstrou se moldar perfeitamente nessa nova forma narrativa que surgia e, não por acaso, foi a que perdurou mais intensamente ao longo de sua história. Biograph. 17 minutos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário