CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Filme do Dia: La Première Nuit (1958), Georges Franju



La Première Nuit (França, 1958). Direção: Georges Franju. Rot. Original: Georges Franju, Marianne Oswald & Rémo Forlani, a partir da ideia de Oswald. Fotografia: Eugen Schüfftan. Música: Georges Delerue. Montagem: Jasmine Chasney & Henri Colpi. Com: Pierre Devis, Lisbeth Persson.
      Garoto consegue escapar do carro com motorista que o leva e traz da escola e se aventurar pelos subterrâneos de Paris através do metrô, sendo constantemente perseguido pela visão de uma garota de sua idade.
    A melancolia sobriamente não sentimental com que é descrito o imaginário infantil, em contraposição, por exemplo, a filmes que também lidam com o mesmo e com uma mais aberta fantasia tais como  O Balão Vermelho (1956), é o que mais chama a atenção desse também curta francês de Franju.  Sem diálogos, sua trilha musical é em grande parte responsável pela criação atmosférica, assim como a escolha de composições que realçam seu tom soturno e o processo de isolamento do garoto diante da “descoberta do mundo”.  Se a dose de fantasia exacerbada, inclusive sinalizando para o erótico, encontra-se na garotinha constantemente entrevista, somente em um momento a opção de ter feito abertamente o uso de uma trucagem em que ela se evapora no ar parece demasiado explícito para o que se já percebera como produto da ilusão/desejo do seu jovem protagonista. O título pode ser interpretado tanto como a primeira noite de um sonho de amor do personagem como, de forma mais ampla, a primeira noite de descoberta de um mundo para além daquele ao qual é habitualmente limitado. Essa cópia, exibida na televisão pública argentina, aparentemente não é mais completa do filme, já que algumas fontes fazem menção a uma duração de 23 minutos. Argos Films. 19 minutos e 14 segundos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário