CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Fime do Dia: O Pesadelo do Escultor (1908), Wallace McCutcheon



O Pesadelo do Escultor (The Sculptor’s Nightmare, EUA, 1908). Direção: Wallace McCutcheon. Fotografia: G.W. Bitzer. Com: Florence Auer, D.W. Griffith, Edward Dillon.
Grupo decide qual será o busto que irá substituir o do presidente Roosevelt. Todos pensam no de si próprios e como não chegam a um acordo vão até o estúdio do escultor provocando grande arruaça e destruindo por completo o mesmo. Embriagado, o escultor provoca confusão em um restaurante, sendo preso. Na prisão, sonha com os bustos.
É bastante curioso como, de certa forma, McCutcheon havia algo pavimentado o caminho para o filme narrativo dramático de Griffith (aqui surgindo como ator) com algumas das produções que dirigira desde 4 anos atrás. Aqui, justamente no período em que o filme narrativo começa a dar seus passos mais sólidos, parece reverter para um caminho inverso, mais próximo do cinema de atrações, como é o caso tanto da primeira cena, onde uma discussão interminável tem lugar na mesa ou da segunda, quando o estúdio do escultor fica praticamente em ruínas após a visita coletiva do ansioso grupo. Ou ainda o destempero do escultor na terceira cena. O mesmo pode ser dito dos previsíveis efeitos, curiosamente ausentes nas produções dos anos anteriores e já cada vez mais em desuso, que aqui retornam para ilustrar o pesadelo de um bêbado, tal como no precursor Dream of a Rarebit Fiend, co-dirigido pelo próprio McCutcheon, porém distantes do mesmo efeito – a cena em que as esculturas surgem por si só demora uma eternidade e é a única, ao contrário da variedade de situações criativas e efeitos pensada no filme de dois anos antes. American Mutoscope & Biograph. 9 minutos e 9 segundos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário