CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Filme do Dia: Nerone (1909), Luiggi Maggi



Nerone (Itália, 1909). Direção: Luigi Maggi. Rot. Original: Decoroso Bonifanti & Arrigo Frusta. Fotografia: Giovanni Vitrotti. Com: Alberto Capozzi, Lydia De Roberti, Luigi Maggi, Mirra Principi, Ercole Vaser, Ernesto Vaser, Serafino Vite, Mario Voller-Buzzi.
Nero descarta sua esposa Octavia e se encanta por Poppea. Poppea, sabendo-se dona da situação, pede que ele assassine Octavia, o que ele logo mandará que seja feito. Morta Octavia, a população se revolta. Acuado, incendeia Roma e foge, sendo assassinado.
Provável “reação” da cinematografia italiana as adaptações clássicas do film d´art francês, através de adaptações inspiradas na história da Roma Antiga que se tornaram freqüentes no cinema de então (sendo a mais famosa de todas, Cabíria, de 1914). Filmada completamente em planos abertos, narra sua história de forma tão concisa, porém igualmente esquemática – sendo a figura feminina, evidentemente, demonizada, como principal má influência sobre Nero. Visualmente a única cena digna de nota é a que apresenta em sobreposição  de imagem uma representação dos temores de Nero. O elenco atua de modo bastante over e teatral, uma característica igualmente comum a essa produção. Também se destacam a facilidade com que se contrapõe evidentes cenários estilizados de estúdio, em produção relativamente rica para os padrões de então,  com locações. Maggi, especialista no gênero, havia realizado no ano anterior Os Últimos Dias de Pompéia, co-dirigido pelo produtor de ambos, Arturo Ambrosio, e com elenco bastante similar.  Film Ambrosio. 14 minutos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário