CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

domingo, 26 de abril de 2015

Filme do Dia: L'Ange de Noël (1904), Georges Méliès



L’Ange de Noël (França, 1904). Direção: Georges Méliès.
Garota é incentivada por seu desesperado pai, preocupado com a saúde da mãe e das finanças familiares, a buscar dinheiro na rua, esmolando. Ela tenta em vários locais sem sucesso e sendo sucessivamente espezinhada seja pelas pessoas que pede, seja por outros pedintes. Estafada, cai sobre a neve sendo acolhida por um rico casal, que se apieda de sua situação e a leva, juntamente com bastante comida e a quitação das dívidas do aluguel para a casa de seus pais, onde a mãe já reestabelecida, juntamente com o pai,  preocupava-se intensamente com qual teria sido seu destino.

Essa produção é pouco evocativa do estilo do realizador, não apenas pelo grande encadeamento dos fatos narrados, inclusive para os padrões de realizadores mais próximos de se dedicarem a um cinema menos afeito a tirar partido primordialmente de seus efeitos, como por seu teor melodramático, antecipador de luminares futuros do estilo em sua sentimentalidade e visão moralista do mundo, como Griffith e Frank Capra. Não há como não comparar a garota pobre em meio a situação adversa de neve e fome com a pequena vendedora de fósforos do clássico conto de Andersen, que ganhara uma versão cinematográfica dois anos antes através das mãos de James Williamson, ainda que aqui a opção seja pelo final feliz e pouco verossímil. Essa produção, no entanto, é de longe mais interessante que a britânica. Não apenas em termos de elaboração narrativa com um encadeamento – e duração da metragem - algo surpreendente para o período, como pelo talento conhecido do realizador para a cenografia, que talvez seja o ponto forte dessa produção. Méliès adapta seu talento para a fantasia desvairada para ambientes realistas como a casa miserável onde vive a família da garota, com um teto por onde vaza neve ou ainda o açougue em que uma parede vazada faz com que acompanhemos tanto o ambiente interno quanto externo (recurso que voltará a ser utilizado com ênfase posteriormente pelo cinema), etc. Os efeitos ópticos aqui consistem basicamente no surgimento do anjo de natal, quando do desespero de seus pais por conta de seu desaparecimento. Star Film. 9 minutos e 43 segundos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário