CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

domingo, 22 de janeiro de 2017

Filme do Dia: Sobre Meninos e Lobos (2003), Clint Eastwood


Resultado de imagem para sobre meninos e lobos poster


Sobre Meninos e Lobos (Mystic River, EUA, 2003). Direção: Clint Eastwood. Rot. Adaptado: Brian Helgeland, baseado no romance de Dennis Lehane. Fotografia: Tom Stern. Música: Clint Eastwood. Montagem: Joel Cox. Dir. de arte: Henry Bumstead & Jack G. Taylor Jr. Cenografia: Richard C. Goddard. Figurinos: Deborah Hooper. Com: Sean Penn, Tim Robbins, Kevin Bacon, Laurence Fishburne, Marcia Gay Harden, Laura Linney, Kevin Chapman, Tom Guiry, Spencer Treat Clark, Emmy Rossum.
        Boston, Massachussets. Jimmy Markum (Penn), de passado criminoso, tem sua vida completamente conturbada após o assassinato de sua filha de 19 anos Katie (Rossum). Inconformado, jura vingança e promete ao investigador Sean Devine (Bacon), um velho conhecido de infância, que irá fazer justiça com as próprias mãos, se a Polícia não encontrar logo o criminoso. As evidências recaem sobre o pacato, porém estranho,  Dave Boyle (Robbins), casado com Celeste (Gay Harden), próxima da família de Markum, já que ele chegou ensanguentado na mesma noite do assassinato e também estivera no mesmo bar que Katie se encontrava. Sean não acredita que Dave seja o assassino, principalmente após saber que a arma pertencera ao pai de Brendan Harris (Guiry), namorado de Katie e com quem ela planejava fugir para Las Vegas. Seu assistente Whitey Powers (Fishburne), aposta que Dave seja o culpado, pois não conseguiu explicar de forma convincente o motivo da ferida na mão. Tendo alguns ex-comparsas de crime em uma investigação paralela à Polícia, Jimmy fica sabendo que Dave é o principal suspeito, o que só vem a ser confirmado pela própria Celeste. Jimmy mata Dave, apesar desse negar o crime, afirmando que na verdade matara um pedófilo que encontrara no retorno do bar. No mesmo momento que Dave é morto, Brendan Harris descobre que seu irmão surdo-mudo, Silent Harris (Clark), fora um dos assassinos, juntamente com seu melhor amigo, pelo forte sentimento de possessão com relação ao irmão. Sean vai contar tudo a Jimmy, porém já é tarde demais. Na parada da independência, todos os personagens se encontram.

         Eastwood faz uma reatualização do gênero noir, contando com as facilidades técnicas do cinema contemporâneo e se aproximando de um realismo que os filmes originais já perseguiam. O resultado final, com as reviravoltas típicas do gênero, é extremamente limitado, tanto no que diz respeito aos elementos estéticos e dramatúrgicos quanto no próprio plano ideológico. Os primeiros reproduzem a mesma estrutura clássica, com direito as celebradas interpretações dos astros principais (e nesse quesito com um  Sean Penn tão careteiro quanto seu antecessor De Niro e uma Marcia Gay Harden praticamente repetindo a mesma cara de aflição ao longo de todo o filme) e alguma dose de suspense efetivada pela montagem paralela. Por outro lado, o filme acena para uma conivência do investigador, novamente de bem com sua mulher, com a violência do  protagonista, como se a catarse geral o eximisse de provocar estragos ainda maiores para a família de Jimmy, seguindo uma tradição que remonta aos heróis morais de John Ford, como No Tempo das Diligências (1939). A certo momento, é feito uma referência rápida a Casablanca, quando o assistente de Sean pede que ele acesse a gravação da denúncia telefônica do crime à Polícia. Warner Bros./Village Roadshow Pictures/NPV Ent./Malpaso Productions. 137 minutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário