CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

domingo, 27 de novembro de 2016

Filme do Dia: Da Nao Tian Gong (1965), Wan Laiming


Resultado de imagem para da nao tian gong poster


Da Nao Tian Gong (China, 1965). Direção: Wan Laiming. Rot. Adaptado: Li Kuero & Wan Laiming, baseado na lenda de Xi You Ji. Música: Wu Ying-Chu. Dir. de arte: Zhang Guangyu.
O Rei Macaco vai em busca de um instrumento apropriado e poderoso com o qual ele possa ensinar aos mais jovens as artes marciais. Após consegui-lo ele terá que enfrentar os deuses celestiais, que não o desejam como uma de suas entidades, mas tem que negociar com o mesmo por conta de seus grandes poderes, conquistados com o auxílio do bastão mágico que o Rei Macaco adquiriu. No lado oposto do Rei Macaco se encontra o Deus de Jade que, sem sucesso, tenta sob todas as formas dobrar, aprisionar ou mesmo destruir o Rei Macaco. As primeiras tentativas belicosas, sob orientação do General Li não dão em nada e uma saída diplomática é tentada pelo Deus da Estrela do Norte. Ele sugere uma nomeação decorativa ao Rei Macaco, que descobre a farsa da pior maneira possível e resolve enfrentar diretamente as forças do Deus de Jade.

Esse longa de animação chinesa tem como seu forte a apresentação de um mundo mítico povoado de deuses e a boa exploração do uso de suas vibrantes cores. A odisséia do Rei Macaco, fortemente enraízada na tradição chinesa ancestral, é amparada do início ao final pela igualmente tradicional música inspirada na Ópera de Beijing, que auxilia enormemente na criação do ritmo de uma por vezes deslumbrante animação, ainda que os jogos de poder entre os deuses contra o Rei Macaco sejam tão excessivos que acabem por cansativos. Talvez se tornem tão ou mais notáveis que seus traços e cores, o quão essa fábula se diferencia de algumas convenções de suas similares ocidentais, como o fato do herói conquistar o seu objetivo já de início e só então partir para a missão que o sagrará de fato vitorioso junto a seu povo. Ou ainda o fato do Rei Macaco não mais perder em nenhuma instância após a conquista do bastão mágico, o que chega a provocar uma soberba de sua parte com relação aos opositores que chega quase a torná-lo um vilão que dessacraliza toda uma cultura de forma egoísta, já que ele quase sempre age sozinho, algo que de fato não chega a ser verdade de todo. Shangai Animation Film Studio. 114 minutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário