CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Filme do Dia: O Coração Materno (1913), D.W.Griffith



O Coração Materno (The Mothering Heart, EUA, 1913). Direção: D.W. Griffith. Fotografia: G.W. Bitzer. Com: Lílian Gish, Walter Miller, Kate Bruce, Viola Barry, Charles West, Adolph Lestina, Junnie Lee, Charles Murray.
Jovem esposa (Gish) abandona o lar porque percebe que o marido vivencia uma relação extra-conjugal com uma mulher rica (Barry). A criança nasce. O pai volta para a família após perceber que a mulher rica apenas o utilizara e agora já se encontra interessada por outro homem, porém chega em um momento no qual a criança, moribunda, não resiste. Sua morte sela o retorno do relacionamento entre o casal.
Esse típico drama moral griffithneano, na qual a divisão entre o prazer e o dever moral do protagonista somente será delineado com a morte da criança está longe de ser uma das obras mais criativas do realizador. O tema do amor e da entrega maternal é constante na produção do realização, seja como aqui, enquanto motivação principal (caso igualmente de Mother Love, do mesmo ano) seja enquanto subtema de um tema mais amplo (caso do episódio contemporâneo de Intolerância). Destaque para o modo como o realizador faz com que os atores se movimentem diante da câmera, realizando em certa medida uma função que será exercida sobretudo pelo movimento de câmera e pela montagem, assim como pela interpretação relativamente contida do casal protagonista. Biograph. 22 minutos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário