CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

domingo, 2 de março de 2014

Natureza morta com Armadilha, 1661

Naturezas-mortas com motivos de caças se tornaram populares na arte holandesa na última parte do século XVII, numa época em que a sociedade holandesa se tornava mais rica e refinada. Um dos artistas mais importantes dessa tradição foi Willem van Aelst, originário de Delft, mas que se aprimorou e trabalhou  por uma série de anos na França e na Itália.

Van Aelst descreve uma série de animais mortos pendurados e jazendo sobre uma borda de pedra na qual uma armadilha dourada e azul de caçador pende. Os animais foram pintados de forma bastante precisa e a maior parte deles pode ser identificado. Além da grande lebre européia e dos galos existe uma perdiz, um martim-pescador e uma pequena ave da América do Norte e Eurásia. Também visíveis  são dois capuzes de falcoeiros, talvez para indicar a natureza da caça.

Que a  pintura de Van Aelst pretendia representar o tema geral da caça mais do que os despojos de uma caça específica se torna evidente pela descrição em relevo de Diana e Actaeon defronte a borda de pedra. A popular história das Metamorfoses de Ovídio descreve como Acteon, um caçador mortal perturba Diana, a deusa da caça, no banho. Diana o transforma em um cervo como punição.
Texto: National Gallery of Art. Nova York: Thames & Hudson, 2005, pp. 134.


Nenhum comentário:

Postar um comentário