CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

terça-feira, 18 de março de 2014

José Acusado pela Esposa de Potifar



A aspiração primordial de Rembrandt enquanto artista foi se tornar um grande pintor histórico. No século XVII, a pintura histórica, que significava a descrição de cenas bíblicas, mitológicas e alegóricas, encontrava-se no mais alto escalão da arte. Os teóricos a priorizavam antes de outros temas como paisagens, retratos ou naturezas-mortas por conta do papel da imaginação do artista ser tão crucial para uma interpretação bem sucedida da história e sua moral.

Rembrandt extraiu as interpretações de seus temas de três fontes básicas: textos escritos, imagens pictóricas anteriores das cenas e uma análise cuidadosa das emoções humanas tal como ele as observava na vida cotidiana. Ele emprestou então as suas cenas um sentido peculiar através de um sugestivo uso de acentuações de luz e sombras, riqueza de cores e aplicações ousadas de tinta.

Rembrandt era particularmente orgulhoso da história de José. Esta cena, extraída do livro do Gênesis, capítulo 39, descreve o momento em que a esposa de Potifar acusava falsamente José de a ter violado. Enquanto fala com o marido, ela aponta para o robe vermelho de José para reforçar sua acusação. Na narrativa bíblica, José, que permanece tranquilo ao lado da cama na pintura de Rembrandt, não se encontrava presente no momento da acusação. Rembrandt, no entanto, o incluiu para acrescentar pungência a cena.
Texto: National Gallery of Art. Nova York: Thames & Hudson, 2005. pp.131.

Nenhum comentário:

Postar um comentário