CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sexta-feira, 14 de março de 2014

Alice Liddell como a "Pequena Mendiga", c. 1859


Pontos focais:
1) Rosto de Alice: Seu corte de cabelo masculino, corriqueiro hoje em dia, era incomum na época. Esta não é a dócil mendiga do poema de Tennyson, mas uma criança impetuosa que olha diretamente para a lente da câmera. Os leitores dos livros de Carroll notarão que a menina que inspirou a série Alice não se parecia nenhum pouco com a ilustração de John Tenniel para o personagem.

2) Cenário: Alice está diante de um muro de pedra velho e coberto de musgo. a aspereza desse fundo realça a suavidade de sua pele. O cenário é o muro externo da residência da família de Alice, no Christ Church College - o que sugere que representações desse tipo eram autorizadas por seus pais. Dodgson deu à Alice uma impressão colorida à mão dessa fotografia, porém os dois já não eram tão amigos quando Alice no País das Maravilhas foi publicado, em 1865.

3) Pés e Flores: Para o público vitoriano, pés descalços podiam significar tanto pobreza quanto disponibilidade sexual. Dodgson muitas vezes se empenhava  em conseguir que as mães permitissem que suas filhas fossem fotografadas fantasiadas e/ou seminuas. Geralmente começava pedindo para realizar uma foto de "pés descalços".

4) Roupas e mão em Concha: Os andrajos de Alice são pitorescos, mas também permitem um afastamento da moral convencional. Seus ombros e parte do seu peito estão expostos - assim como, possivelmente, seu mamilo. A mão em concha revela sua condição de pedinte, mas sua proximidade do corpo (certamente para mantê-la parada durante a exposição) empresta uma dimensão sexual à imagem: diante dela, os menos ingênuos seriam lembrados de que as crianças também se prostituíam. 

Texto: Tudo Sobre Fotografia. Rio de Janeiro: Sextante, 2012, pp.111.


Nenhum comentário:

Postar um comentário