CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sábado, 15 de março de 2014

Filme do Dia: Estamira (2004), Marcos Prado

Estamira (Brasil, 2004). Direção, Rot. Original e Fotografia: Marcos Prado. Música: Décio Rocha. Montagem: Tuco.
Documentário que acompanha a trajetória de Estamira, catadora de lixo acometida por perturbações mentais. Apagando todos os vestígios da interferência da equipe de filmagem, o filme procura se aproximar o máximo possível do próprio imaginário de sua rica personagem. Ainda que outras vozes se somem para melhor configurar a trajetória da protagonista e também existam algumas breves interações de Estamira com familiares, assim como fotos que descrevem indícios de sua vida pregressa, o mais forte do filme se centra na junção de uma banda sonora com o discurso de Estamira e o cenário que a cerca, sobretudo o aterro sanitário em que ganha a vida. Nesse sentido, é exemplar ouvir o comentário dela sobre o quanto tudo é abstrato, enquanto as imagens a apresentam completamente cercada por detritos de todos lados. Não menos tocantes são suas relações de companheirismo com outros catadores. O filme também envereda por seqüências em que flagra a família como um dos principais elementos a acentuar os surtos esquizofrênicos de Estamira, como nos impressionantes embates com o filho e o neto religiosos. A poética do filme está associada, sobretudo, com a voz off/over de Estamira e uma estetizada fotografia em p&b que parece, como sua protagonista, vencer as barreiras da miséria concreta para de lá extrair o que há de mais importante, a subjetivação e abstração humanas. 121 minutos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário