CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Filme do Dia: The Unfurtunate Marriage (1917), Ernest C. Warde

The Unfortunate Marriage Poster
The Unfortunate Marriage (EUA, 1917). Direção: Ernest C.Warde. Rot. Adaptado: Lloyd Lonergan, a partir do romance de Wilkie Collins. Fotografia: William Zollinger. Com: Florence La Badie, Richard Neill,  Gertrude Dallas, Arthur Bauer, Wayne Arey, J.H.Gilmour, Claude Cooper.
A jovem e atraente Laura Fairlie (La Badie) é praticamente obrigada a se casar com o inescrupuloso  Sir Percival Glyde (Neill), por conta de um contrato nupcial feito por seu falecido pai e para seu extremo desespero, já que se encontra apaixonada por Walter Hartdridge (Arey). Uma garota, fugida de um asilo mental, Anne (La Badie) avisa a Laura sobre a falta de caráter de Percival.

Típico produto melodramático que já havia sido levado às telas 3 vezes e seria outras duas apenas em termos de cinema mudo – seu progressivo desaparecimento das telas após o final do cinema clássico é bastante sintomático de seu caráter datado, sendo várias vezes adaptado para a TV. Das meio-irmãs vividas pela mesma La Badie até a proximidade maior de Walter com um perfil burguês e o vilanesco Percival aristocrático passando por questões que envolvem herança e algum mistério e um dos vilões morto em incêndio, tudo já fora trabalhado pelo melodrama teatral pós-revolucionário francês – a matriz literária é considerado com uma das produções pioneiras em termos de suspense e do gênero detetivesco; infelizmente esse caráter é somente percebido com mais ênfase, ao menos no filme, ao início. Embora visualmente mais interessante que outras produções de cariz melodramático contemporâneas (como A Mormon Maid), sua trama cheia de golpes de efeito, subtramas e excessivos personagens torna virtualmente impossível se ter uma noção muito clara da narrativa. Destaque para o agente do “serviço secreto” brasileiro que é quem identifica o braço direito de Percival como foragido da justiça.  Thanhouser Film Corp. para Pathé Exchange. 68 minutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário