CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Filme do Dia: Os Amantes Passageiros (2013), Pedro Almodóvar

Resultado de imagem

Os Amantes Passageiros (Los Amantes Pasajeros, Espanha, 2013). Direção e Rot. Original: Pedro Almodóvar. Fotografia: José Luis Alcaine. Música: Alberto Iglesias. Montagem: José Salcedo. Dir. de arte: Antxón Gomez & Federico García Cambero. Cenografia: María Clara Notari. Figurinos: David Delfin & Tatiana Hernández. Com: Carlos Areces, Javier Cámara, Raúl Arévalo, Lola Dueñas, Hugo Silva, Antonio de la Torre, José Luis Torrijo, José María Yazpak, Cecilia Roth.
Avião que parte de Toledo rumo a Cidade do México tem dificuldades de prosseguir viagem e core risco de se espatifar na pista, já que se encontra sem um de seus trens de pouso. Dentro dele, dada a situação um grupo de passageiros começa a liberar seus traumas, telefonando do avião para seus entes queridos, dançando para os passageiros ou simplesmente fazendo sexo. O avião faz um pouso de emergência sem maiores problemas.

Dispensável filme, talvez o pior da profícua e talentosa carreira do realizador. Ao se voltar para a comédia rasgada, centrada sobretudo em referências ao sexo, o filme deixa de lado a verve melodramática que impulsionara alguns dos melhores filmes do realizador (inclusive o seu longa imediatamente anterior, A Pele Que Habito) sem tampouco, efetivamente, resgatar o teor libertário e pioneiro de suas primeiras produções, abertamente escrachadas. Se o próprio realizador foi, de certo modo, grandemente responsável com que elementos contraculturais, anteriormente relegados ao gueto, se tornassem cada vez mais comuns nas telas do cinema e fora delas, voltar-se para uma tentativa de ressuscitar o mesmo, sob bases semelhantes, não faz o menor sentido. Constrangedor em seus apelos para uma tentativa de humor que explore situações vinculadas ao sexo – como a virgem que observa um casal fazendo sexo ao seu lado e decide ir à classe econômica para lá perder a virgindade – ou ao histrionismo homossexual, representado por  um trio de comissários de bordo que faz uma apresentação musical. Ainda que exista muito ocasionalmente algumas saídas engenhosas, como as conversas telefônicas que são escutadas por todos os passageiros da primeira classe, essas na maior parte das vezes soam mais interessantes enquanto ideias que concretizações de fato. As subtramas dos passageiros não chegam a ser grandemente desenvolvidas e são tão inócuas quanto os próprios. Penelope Cruz e Antonio Banderas surgem em pontas ao início. El Deseo S.A. 90 mnutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário