CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

terça-feira, 4 de julho de 2017

Filme do Dia: A Marcha dos Pinguins (2005), Luc Jacquet




Resultado de imagem para a marcha dos pinguins poster

A Marcha dos Pinguins (La Marche de l'empereur, França, 2005). Direção: Luc Jacquet. Rot. Original: Luc Jacquet & Michel Fessler sobre o argumento de Jacquet. Fotografia: Laurent Chalet & Jérôme Maison. Montagem: Sabine Emiliani.

Na Antártica, grupos de pinguins seguem o ciclo da vida dos nove meses de inverno rigoroso em que passam por várias provações, como a de conseguir um parceiro, conseguir chocar o ovo protegendo-o das intempéries e proteger os filhotes dos predadores, antes de retornarem ao mar para saborearem o verão com o degelo das geleiras.


Esse documentário procura explorar os paralelos entre a saga dos pinguins e a dos próprios seres humanos, apelando para recursos que pretendem torna-lo mais palatável junto ao grande público (não é à toa que foi sucesso de bilheteria nos EUA, somente ficando atrás de Fahrenheit 11/09 quando de seu lançamento). Para isso faz uso tanto de um narrador quanto de vozes de atores famosos para interpretarem alguns momentos particulares da odisseia dos pinguins (na França, os atores Romane Bohringer e Charles Berling) e de músicas de certo apelo pop infantil. Quanto à estratégia das vozes de atores famosos, nada de muito diverso do mundo da animação Disney, paralelo que pode ser traçado sem medo com relação a esse documentário, sobretudo na suavização dos temas da reprodução e da morte, nunca entrevistas com maiores detalhes e na sua preocupação primordial com a beleza plástica das imagens. E obviamente na antropomorfização dos pinguins, sobretudo nos aspectos de acasalamento, senso gregário e relação entre adultos e filhotes também se sente a forte influência do universo disneyano, não sendo coincidência que um dos braços da Disney seja co-financiadora do mesmo. O resultado final, por conta de tudo isso, torna-se demasiado insípido para ser realmente interessante e francamente tedioso em sua maior parte. Embora para que toda essa fantasia montada às custas da natureza ganhe maior efeito seja necessário o ocultamento completo dos realizadores das filmagens e sobre quais condições tais se deram, nos créditos finais se abre uma margem para alguns registros de captação das imagens por parte da equipe de filmagem. Bonne Pioche/Buena Vista Int. Production France/Canal+/APC/L´Institut Polare Français Paul Emile Victor. 85 minutos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário