CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Filme do Dia: A Casa das Janelas Fechadas (1910), D.W. Griffith







A Casa das Janelas Fechadas (The House with Closed Shutters, EUA, 1910).
Direção: D.W. Griffith. Rot. Original: Emmett C. Hall. Fotografia: G. W. Bitzer. Com: Henry B. Walthall, Grace Henderson, Dorothy West, Joseph Graybell, Charles West, William J. Butler.




Soldado confederado (Walthall) parte para a guerra como herói, despedindo-se da mãe (Henderson) e da irmã (West). Quando recebe uma missão de atravessar uma zona em conflito para entregar uma mensagem as forças confederadas das mãos do General Robert E. Lee entra em colapso nervoso e se refugia em casa. Sua irmã então, decide, por conta própria fazer-se de soldado e entregar a mensagem. Engaja-se na batalha e morre heroicamente. Sua morte sela igualmente a morte em vida para o irmão, que a mãe pretende ocultar dos olhos da sociedade, trancando todas as janelas da casa e não permitindo que ele saia. Certo dia, muitos anos passados, dois antigos pretendentes da irmã (Graybell e Charles West), descobrem que ele se enconrava vivo, mas ele acaba morrendo diante deles.

Esse melodrama da época da Guerra da Secessão, um dos temas prediletos do realizador, mesmo com todos os elementos hilários e constrangedores aos olhos de hoje como a atuação exagerada de seu elenco ou a presença indefectível de um ator branco vivendo o papel do mordomo negro, apresenta ao mesmo tempo uma inversão nos valores de gênero. Destaque para a patética morte da irmã, que praticamente se suicida para pegar uma bandeira americana em meio ao fogo cruzado. Há um tom anti-realista, e mesmo gótico, na morbidez do ato da mãe que pretende ter o filho dado como morto mas herói. E uma empostação típica do teatro melodramático da época, na postura empertigada com que os atores fazem valer seus códigos morais, como no tableau final. Biograph. 16 minutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário