CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Filme do Dia: A Bela Palomera (1988), Ruy Guerra

A Bela Palomera (Fábula de la Bella Palomera, Espanha/Brasil, 1988). Direção: Ruy Guerra. Rot. Adaptado: Gabriel García Marquez & Ruy Guerra, baseado no conto do primeiro. Fotografia: Edgar Moura. Música: Egberto Gismonti. Montagem: Mair Tavares. Dir. de arte: Irenio Maia. Com: Ney Latorraca, Claudia Ohana, Tônia Carrero, Dina Sfat, Chico Diaz, Cecil Thiré, José Kléber, Tonico Pereira.
             Orestes (Latorraca) é um solteirão que vive com a velha mãe (Carrero) e acaba apaixonando-se perdidamente por Fulvia (Ohana), uma garota que cuida de pombos e mora em um solar com um esposo (Diaz) que lhe dá pouca atenção. Assediada constantemente por Orestes, que conta ainda com a força de uma velha feitiçeira (Sfat), vive um romance tórrido com Fulvia. O marido traído, no entanto, a mata.
Infeliz adaptação de Guerra sobre obra de Marquez – seu Erêndira (1983) é superior – que não consegue ser convincente em momento algum. Tanto o sofrível desempenho da maioria do elenco como o preciosismo da fotografia e uma trilha sonora equivocada apenas procuram mascarar a mediocridade do resultado final, tarefa impossível. Sobram vapores e filtros para compor uma atmosfera do já desgastado “realismo fantástico”. Fox Lorber/International Network Group/TVE. 78 minutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário