CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Retrato de Diego de Guevara (?), c.1515/1518

Michel Sittow, um pintor do nordeste, que nasceu na Estônia, no Mar Báltico, mas teve seu aprendizado em Bruges, foi um aclamado retratista da corte espanhola. Após a morte da Rainha Isabel, em 1504, sua extravagante carreira o levou a diversos centros do nordeste europeu, incluindo Burgundy, onde provavelmente pintou esse retrato.

O retratado observa, com semblante sério, não em direção ao observador do quadro, mas para sua extremidade que se encontra além do que é emoldurado. O tapete ornamentado que cobre o parapeito de pedra onde suas mãos se encontram proporcionou aos estudiosos uma importante pista que os levou a descobrir que o objeto de sua concentração é uma pintura da Madona e sua criança, de dimensões similares, que se encontra na Gemäldgalerie de Berlim.Nesse painel, uma porção bem mais ampla desse parapeito, coberto pelo mesmo tapete, surge como um suporte para o Cristo criança. Parece evidente que os painéis de Berlim e Washington foram originalmente dispostos juntos, formando um díptico para devoções.

Evidências circunstanciais sugerem que o retrato presente na National Gallery representa Diego de Guevara, nobre cuja família era proveniente de Santander, no nordeste da Espanha. Por quarenta anos Don Diego foi um membro valoroso da corte dos Habsburgos, em Burgundy. A cruz bordada da Ordem Hispânica de Calatrava, com seu gibão dourado, fortalece tal hipótese. Após servir em diversos cargos de confiança nas casas de Filipe, o Justo e Carlos V, Don Diego foi designado como líder dessa ordem.
Texto: National Gallery of Art. Nova York: Thames & Hudson, 2005. pp. 78.

Nenhum comentário:

Postar um comentário