CONTRA O GOLPE CIVIL-MIDIÁTICO-JUDICIÁRIO EM CURSO E PELO RETORNO DA DEMOCRACIA

#ELENÃO

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Filme do Dia: A Qualquer Custo (2016), David Mackenzie

Resultado de imagem

A Qualquer Custo (Hell or High Water, EUA, 2016). Direção: David Mackenzie. Rot. Original: Taylor Sheridan. Fotografia: Giles Nutgens. Música: Nick Cave & Warren Ellis. Montagem: Jake Roberts. Dir. de arte: Steve Cooper. Cenografia: Wihelm Pfau. Figurinos: Malgosia Turzanska. Com: Jeff Bridges, Ben Foster, Chris Pine, Gil Birmingham, Dale Dickey, Kate Mixon, Marin Ireland, Heidi Sulzman.
Tanner (Foster) e Toby Howard (Pine) são dois irmãos que se reúnem para assaltar consecutivamente bancos, tendo como objetivo salvar o rancho em West Texas, que querem deixar como herança  para os filhos de Toby. Em sua caça se encontram o delegado Marcus Hamilton (Bridges) e seu assistente Alberto Parker (Birmingham).

Embora o filme não se afaste tanto assim  dos filmes de assaltantes de banco e perseguições, de antecedentes ilustres na história do cinema americano (Mortalmente Perigosa, Bonnie & Clyde, Terra de Ninguém) para se tornar realmente empolgante, conta a seu favor com uma não menos que exuberante direção de fotografia, que ressalta as paisagens do Meio-Oeste americano como poucos outros o fizeram e uma trilha co-assinada por Cave que consegue se furtar dos excessos. Se o filme se escusa ou não investe tanto na psicologia de seus personagens, tal como o filme de Malick e ao contrário dos outros dois, segue fielmente a lógica do espetáculo, observando com prazer voyeurístico os combates, marcas de tiros na lataria dos carros ou a cabeça do parceiro de Marcus se transformar numa poça de sangue tal como, cada qual a seu tempo, as duas outras produções haviam tirado partido. Uma variação sobre a tradição que traz um ou outro elemento novo, como ressaltado em um final que tende a ser um aceno para a paz, mais que da vingança acima da lei como se poderia supor, dos sobreviventes, por outro lado não se constrange em apresentar, na melhor tradição do cinema clássico, um personagem não branco que não apenas apoia o protagonismo do outro, como ainda vem a ser o bode expiatório a ser lamentado. Ou seja, apesar das pequenas variações sobre o mesmo tema, se nos restringirmos somente a questão visual, em termos não estritamente técnicos, mas de inventividade, Mackenzie se encontra evidentemente longe dos Irmãos Coen. Embora boa parte da ação seja ambientada no Texas, foi filmada, na verdade, no Novo México. Não falta uma referência a cidadela onde foi filmado A Última Sessão de Cinema, que tinha como proeminência em seu elenco Jeff Briges 45 anos mais moço. Film 44/Odd Lot Ent./Sidney Kimmel Ent. para CBS Films. 102 minutos.