CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sábado, 7 de novembro de 2015

Filme do Dia: O Último Pôr-do-Sol (1961), Robert Aldrich


O Último Pôr-do-Sol (The Last Sunset, EUA,  1961). Direção: Robert Aldrich. Rot. Adaptado: Dalton Trumbo, baseado no romance Sundowm at Crazy Horse, de Howard Rigsby. Fotografia: Ernest Lazslo. Música: Ernest Gold. Montagem: Michael Luciano. Dir. de arte: Alexander Golitzen & Alfred Sweeney. Cenografia: Oliver Emert. Figurinos: Norma Koch. Com: Rock Hudson, Kirk Douglas, Dorothy Malone, Joseph Cotten, Carol Lynley, Neville Brand, Regis Toomey, Adam Williams, Jack Elam, John Shay.
      O alcóolatra e fraco John Breckenridge (Cotten), firma um acordo com o ex-amante de sua mulher, Brendan O´Malley (Douglas), de que se conseguir atravessar seu rebanho do México até Crazy Horse, nos EUA, lhe dará um quinto do rebanho e sua esposa, Belle (Malone). Quem também passa a integrar a comitiva é Dana Stribling (Hudson), que traz consigo um mandato de prisão contra O´Malley e uma sede de vingar o suicídio de sua irmã caçula, provocado pelo assassinato do homem que amara por Brendan. Após muitos transtornos, como a morte de John Breckenridge, um encontro com os índios, areia movediça e um motim dos caubóis que se ofereceram para ajudar a levar o gado, eles conseguem chegar a Crazy Horse. O´Malley, decepcionado, descobre que Belle encontra-se interessada por Dana. Porém sua filha, Missy (Lynley) apaixona-se por O´Malley, sem saber que ele é seu pai. Após Belle contar tudo a O´Malley e implorar que Dana esqueça o ajuste de contas com o mesmo, O´Malley é morto por Dana. Descobre, no entanto, que ele fora ao duelo com uma arma descarregada.
Soberbo western psicológico, em que se destaca a sobriedade com que o cineasta aborda os profundos conflitos e ambiguidades entre os personagens.  Assim, prefere não apresentar os funerais de John ou qualquer reação da esposa e da (suposta) filha. Da mesma maneira, Belle consegue conter impassível toda sua ansiedade com relação ao quase eminente incesto. O mesmo ocorre quando, sempre que a tensão explode entre O´Malley e Dana, Belle faz questão de lembrar a prioridade da promessa de cumprir a travessia. Aliás, a complexa relação entre O´Malley e Dana, em parte movida pelo ódio, em parte pela admiração mútua, assim como a oposição entre o vigor romântico da juventude do primeiro e a maturidade fria e desapaixonada do segundo – oposição que remete a um dos subtemas de 30 Anos Esta Noite – são também algumas das virtudes do filme. A seqüência do duelo, no final, apresenta uma montagem acelerada de cortes brevíssimos. A produção conta com boa parte do núcleo, tanto diante (Hudson, Malone) como por trás das câmeras, que trabalhara com Douglas Sirk, na década anterior. Trumbo, o roteirista, foi vítima da Comissão de Atividades Anti-Americanas. Universal/Brynaprod S.A. 112 minutos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário