CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Filme do Dia: Corações do Mundo (1918), D.W.Griffith



Corações do Mundo (Hearts of the World, EUA, 1918). Direção e Rot. Original: D.W. Griffith. Fotografia: G.W. Bitzer, Alfred Machin & Hendrik Sartov. Montagem: John Smith & Rose Smith. Cenografia: Frank Wortman. Com: Lilian Gish, Robert Harron, Dorothy Gish, Robert Anderson, George Siegmann, Erich Von Stroheim, Ben Alexander, Kate Bruce, Marion Emmons, Adolph Lestina.
O Rapaz (Harron) é uma figura amada em um vilarejo francês e desperta a atenção da Garota (Lilian Gish). Uma outra garota (Dorothy Gish), procura perturbar a relação entre ambos, até que conhece Cuckoo (Anderson). Eles se casam, mas pouco depois chega a notícia da explosão da Guerra, a partida do Rapaz para a guerra e a invasão alemã, que destrói e separa toda a comunidade. A garota encontra sua ex-rival em situação delicada para ambas, pois todas aprisionadas pelos alemães. O Rapaz, com a ajuda de Cuckoo, comandará a invasão que as libertará, como os outros prisioneiros, do jugo dos alemães.
Griffith volta a fazer uso da fórmula que mescla melodrama amoroso e história, agora contemporânea que já havia utilizado em filmes como O Nascimento de uma Nação e Intolerância. O resultado, mesmo que irregular e com situações dramáticas que findam por não se desenvolver, como a da garota rival (com uma Dorothy Gish próxima de encarnar o personagem de Constance Talmagde em Intolerância, igualmente intempestiva, desajeitada e algo máscula, ainda que aqui mude rapidamente de perfil) consegue também apresentar pontos fortes. Entre esses últimos se encontram as interpretações. Ainda que, de modo geral, as atuações mais extravagantes e próximas do teatro popular de então sejam endereçadas, sobretudo, aos personagens do segundo núcleo, de certo viés cômico, ao menos no início, a sutileza fica mais patente sobretudo no trabalho de Robert Harron, ator habitualmente presente na filmografia do cineasta, falecido precocemente aos 27 anos, apenas dois após esse filme. Em alguns momentos de forte intensidade emocional, como ao despedir-se do irmão mais novo (muito bem encarnado por Ben Alexander) quando de sua partida para a Guerra, por exemplo, sua contenção pode ser comparada com a bem mais excessiva interpretação de Gish, mesmo descontadas as diferenças de gênero convencionais do cinema de então. Algumas cenas de batalhas, aqui bem menos espetacularizadas que em outros filmes seus, foram filmadas no próprio conflito. D.W. Griffith Prod./Famous Players-Lasky Co./War Office Comittee. 117 minutos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário