CONTRA O GOLPE CIVIL-MIDIÁTICO-JUDICIÁRIO EM CURSO E PELO RETORNO DA DEMOCRACIA

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Filme do Dia: No Porão (2014), Ulrich Seidl


Resultado de imagem para no porão ulrich seidl
No Porão (Im Keller, Áustria, 2014). Direção: Ulrich Seidl. Rot. Original: Veronika Franz & Ulrich Seidl.  Fotografia: Martin Gschlacht. Montagem: Christoph Brunner.
Documentário que se detém em personagens que realizam atividades “excêntricas” em seus porões: há o grupo de homens de idade avançada que se reúne como banda em um ambiente completamente decorado/devotado ao nazismo; há aquele grupo de senhores que se reúne para praticar tiro e, nas horas vagas, comenta entre uma cerveja e outra sobre a inferioridade racial dos emigrados, como turcos, mesmo já nascendo no país; há aquela que desce para encontrar os seus “bebê”, bonecos de aparência hiper-realista que ela mima e “põe para dormir’; há a mulher que se prostitui sentindo prazer em ser humilhada; há aquela que após vivenciar relações turbulentas com homens, e trabalha no Caritas justamente com mulheres que sofreram ou sofrem agressões, e agora prefere sofrer sessões “controladas” de masoquismo; há o homem que é escravo sexual de uma mulher dominadora, cujo único espaço de exceção em seu “reino” de dominação é no quarto, onde admite que ele lhe possa demonstrar algum afeto. Fazendo uso do porão como cômoda metáfora para desejos recônditos, conscientes ou não, não apenas não é de fato o único espaço dos fetiches de seus personagens – no caso do escravo sexual, como referido, o observamos em atividades similares em boa parte dos aposentos da casa, embora o “clímax” das torturas e humilhações ocorra no porão e a banda de senhores também executa números do lado de fora da casa – e fazendo uso de uma fria e distanciada apresentação de tudo, bastante contemporânea, com ausência de movimento de câmera e corte seco, além de vários momentos em que os personagens posam como que catatônicos para a câmera, o documentário se torna imbuído de um senso de voyeurismo intensamente obsceno e proto-sensacionalista, o que termina por deixar praticamente em segundo plano as atividades apresentadas por seus personagens. Coop99 Filmproduktion/MMK Media/Ulrich Seidl Filmproduktion GmbH. 81 minutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário