CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

quinta-feira, 3 de abril de 2014

meu caro diário, 30/09/05

Sexta. Manhã com friozinho gostoso e céu azulão. Escutando My Funny Valentine e canções de Sinatra com Tommy Dorsey e respondendo um e-mail amargo a respeito de Fortaleza e suas primeiras experiências após o retorno:
cara joceny,

acabo de acordar por aqui numa manhã de sol mesclada com um friozinho serrano que tanto me agrada - essa mistura de sol e frio me faz muito lembrar dos dias também de primavera em toronto, só que lá o frio era bem mais brabo. vivo no que duas pessoas que vieram aqui em momentos diferentes compararam a um "studiô" na França, com teto baixo (deve ter sido originalmente um sótão) e um cômodo só onde cohabitam quarto, cozinha e uma área pequena onde degusto minhas refeições e estendo a roupa lavada, assim como a cozinha, esses dois últimos separados apenas por um gigantesco armário de roupas.
tentei desesperada e um tanto fantasiosamente me apegar a idéia de uma nova seleção por aqui, mas soube ontem de um amigo da usp que nem mesmo na fantasia dá para imaginar algo do tipo, pois nao haverá seleção esse ano na eca pois os cursos estarão passando por uma reformulação completa. eu imaginava pedindo uma orientação pro-forma para um dos professores daqui (já que o cara que eu realmente estava interessado que fosse meu orientador e seria numa boa ainda nao pode orientar, ou seja, para encaixar numa das vagas dele (...) somente pro-forma, o que ja nao seria tão fácil o cara aceitar, mas ainda assim era uma esperança. despois, teria uma facilidade imensa para agilizar um projeto pois já estou com quase a metade da tese escrita e em dois anos e pouco terminaria o doutorado daqui, mais ou menos o mesmo tempo que levaria por aí. de qualquer modo é uma ironia voltar agora em dezembro quando o morettiin, esse prof. da usp que provavelmente estará na minha banca, convidou-me para apresentar minha pesquisa em seu grupo de estudo, só que para esse ano já nao dá mais, pois está lotado o calendário. enfim, foi-se a minha oportunidade de ver gente especializada na área comentar meu trabalho e propor idéias. voltar para um lugar onde um dos poucos interlocutores interessados em cinema se mostrou a nível pessoal tão desprezível e que nem mesmo pretendo mais manter nenhuma relação pessoal nao é muito entusiasmante.
procuro dourar a pílula quando penso em Fortaleza e ver os únicos aspectos consoladores: conseguir guardar uma grana vivendo uns meses na casa dos pais, caminhar na beira-mar, pensar como um recuo estratégico para depois ir morar novamente fora, etc. porém quando vejo o Lindomar me falando ao telefone todo entusiasmado que terminou o doutorado mais rápido para voltar...para a UECE, fico de cabelo em pé. bem, vou ficando por aqui pois tenho umas cositas para fazer. hoje haverá a despedida de mais uma amiga que parte para paris mais tarde. quero ainda fazer uma coisinhas por aqui antes de ir na usp e depois ir até o barzinho aqui perto onde rolará a tal despedida.

beijos
cid
ps. sim no meu "dourar a pílula" também incluo a possibilidade de fazer análise com franzé? vc nao vai voltar ao dito cujo?
ps.2 - eu sei exatamente o que é isso de relatar experiências vividas fora por aí. é quase um insulto para as pessoas.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário