CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

domingo, 6 de abril de 2014

Dia dos Aliados, Maio de 1917 (1917)

Um furacão patriótico surpreendeu o o centro de Manhattan quando os Estados Unidos entraram na I Guerra Mundial, na primavera de 1917. Na Quinta Avenida, a Union Jack britânica, a tricolor francesa e a Stars and Stripes americana foram exibidas ostensivamente durante as paradas em honra dos aliados americanos. O festival de cores inspirou Childe Hassam, que dedicou essa pintura a "união de [nossos] três povos em luta pela democracia." As pinturas das bandeiras de Hassam foram exibidas pela primeira vez em grupo na Durand-Ruel Gallery de Nova York, em novembro de 1918, apenas 4 dias após o armistício ter sido declarado. As obras, portanto, criadas para proclamar a entrada dos Estados Unidos no conflito, também serviram para comemorar sua intrepidez vitoriosa.

Hassam havia estudado em Paris de 1866 a 1869 e havia sido fortemente influenciado pelos impressionistas. Sob muitos aspectos, O Dia dos Aliados, assemelha-se às vibrantes pinturas de boulevares de Monet e Pissaro. Como estes artistas franceses contemporâneos, Hassam escolheu uma perspectiva do alto, divisando a via pública lotada para conquistar a ilusão de um recuo espacial dramático. Porém, antes de utilizar borrões de pigmentos para dissolver as formas, ele aplicou fluidas pinceladas paralelas para criar um padrão arquitetônico. Apesar de compartilhar com os impressionistas os interesses em cores brilhantes, pinceladas descontínuas e temas modernos, a abordagem global de Hassam era menos teórica e suas formas pictóricas permaneciam de  longe das mais substanciais que àquelas de seus europeus contemporâneos.

Fonte: National Gallery of Art. Nova York: Thames & Hudson, 2005, pp.249.

Nenhum comentário:

Postar um comentário