CONTRA O GOLPE CIVIL-MIDIÁTICO-JUDICIÁRIO EM CURSO E PELO RETORNO DA DEMOCRACIA

#ELENÃO

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Filme do Dia: La Mosca y Sus Peligros (1920), Eduardo Martínez de la Pera & Ernesto Gunche

Resultado de imagem para la mosca y sus peligros 1920 pics


La Mosca y Sus Peligros (Argentina, 1920). Direção: Eduardo Martínez de la Pera & Ernesto Gunche.
Esse curta da dupla de realizadores que também já era familiarizada com o longa ficcional (Nobleza Gaucha, com Humberto Cairo, Hasta Después de Morta) provavelmente pode ter surgido como uma encomenda e se filia aquelas produções de divulgação na linha da higienização que a ciência positiva colocara agressivamente em foco. Assim, aqui observamos inicialmente um médico e sua assistente no laboratório observando detalhes da anatomia de uma mosca em um microscópio e depois passamos ao processo de captura das mesmas com vidros especiais para os propósitos científicos. Posteriormente o filme se esmera em demonstrar o quanto tudo que é tocado pelas patas das moscas se transforma em colônias de bactérias e o faz através de um experimento laboratorial, com a câmera fazendo às vezes de olhar do cientista a partir do momento que o vemos de olho colado no microscópio.  Nas cartelas explicativas, encontra-se igualmente registrado o número de vezes em que a imagem é ampliada (35 mil no caso das bactérias em movimento observadas pela colônia criada a partir de uma mosca). Protozoários e germes são observados, alguns deles resistindo à morte de sua portadora, no cadáver de uma mosca dissecada. A imagem mais chocante do curta provavelmente é a que ilustra bebês com disenteria, paralisia infantil e outras enfermidades mórbidas que acredita-se a partir do que foi exposto antes, que teria sido fruto de alimentos contaminados por moscas. Boa parte dos minutos finais do curta são dedicados a se acompanhar o processo de reprodução da mosca, de ovos a larva, de pupa à mosca, fazendo uso, inclusive, de uso continuado da imagem com perfeição, para demonstrar a passagem que se efetiva em seis horas da cor branca à amarronzada. Uma das cenas mais interessantes é a que apresenta as moscas saindo de seus casulos já em sua formação completa. Alarmista, o curta afirma que uma só mosca pode gerar 22 bilhões de descendentes e ao longo de toda sua extensão não deixa de ressaltar seus hábitos “imundos”. E também apresenta técnicas variadas de extermínio de moscas, desde aqueles que são controlados em laboratório no momento em que são larvas, até se lidando com infestações domésticas. 36 minutos.