CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Meu Caro Diário, 07/10/2004

 quinta. Fui ao Emílio Ribas o mais cedo que pude, pois ontem tive lá e o cara disse que o exame era feito só até as 9h30. finalmente vou fazer o famoso exame da carga viral e saber se tenho mesmo hepatite (7 chances entre 10 que sim). Depois fui na USP e tentei reaver uma parte da grana da minha inscrição na prova de línguas. Praticamente desisti de praticar seleção por aqui. Lindomar finalmente deu notícias, após umas duas semanas que eu havia enviado um bilhete curto. Ele escreveu:
Hola El cid,
 
Ya estoy en suelo Argentino, pasé Lunes en Buenos Aires, ahora la
ciudad
está muy amable. Hace mucho frío. Hoy ya estoy en Posadas, estaba
buscando
algo para alquilar por un mes, los otros 5 meses voy a pasar mismo en
Buenos
Aires, viré acá solamente para las citas con el orientador. Posadas es
una
ciudad de 300 miles habitantes, creo que de tamanho de Sobral y hay
pocas
opciones de lazer por la noche. Es una ciudad estudantil ubicada al
borde
del río Paraná, de la avenida Costanera se mira la ciudad paraguaya de
Encarnación. Alquiler una habitación en una pensión de estudiantes, voy
a
ver si es confiable, estoy con miedo de robaren mi notebook. La
habitación
es privada con baño privado.
 
Próxima semana estaré indo para el Paraguay, continuar el viaje por
aquellas
regiones que viajamos.
 
Además todo bien, sin embargo....
 
Saludos desde la ciudad de Posadas.
Espero que visiteme cuando yo esté en Buenos Aires.Te pasaré la
dirección.
 
De qualquer maneira, fiquei com vontade de viajar ao final do ano e não exatamente para Fortaleza, mas também não sei se arriscaria ir novamente à Argentina, que eu já conheço. Para Fortaleza de avião vai sair puta caro. Conhecer o Chile poderia ser legal, mas passar o final de ano sozinho é um tanto quanto melancólico. Prefiro ir a Fortaleza quando estiver baixa estação. Viajar ia ser o máximo do lúdico depois de tanto tempo encalacrado em São Paulo. Me gusta imenso a idéia. Viajar e escrever seria a melhor combinação na vida. Trabalhar é que é o ó. Encontrei Sônia e sua amiga cearense quando estava saindo da biblioteca da ECA e deve ser uma das últimas vezes que a vejo, infelizmente, antes de sua partida para França. Estive esse final de semana com Beth&Fabiana e nos encontramos duas vezes. Enchi a pança em um restaurante chique que a Beth me levou em Vila Madalena, depois de ter sugerido a FNAC para ela fazer compras. No segundo encontro, fomos a Bienal, que não me entusiasmou muito – não gosto muito de arte contemporânea e depois rodamos um bocado até chegar no West Plaza, onde almoçamos e depois me despedi das duas.
Ontem, fiquei um tanto quanto macambúzio e a resposta que dei para Lindomar bem transpareceu meu estado de espírito:
oi lindomar,
 
bom ter notícias suas numa noite nao muito feliz em
são paulo. estou bastante desanimado, espero que passe
logo. teve um professor que se interessou muito pelo
que escrevo, o henri gervaiseau. ele é filho de
violeta arraes lá do crato. nao o conhecia e depois
que ele leu meu trabalhou mudou da água para o vinho e
passou a me ver com outros olhos. outro dia quando fui
devolver uma fita para ele em seu apartamento ele me
disse que meu trabalho fora o melhor que lera nos dois
anos e meio que passou na usp e inclusive me
recomendou para o ismail xavier, a grande autoridade
nacional em cinema que cheguei a cursar uma
disciplina, mas que tem 500 pessoas assediando o tempo
todo. o mais escroto de tudo é que ele nao pode
orientar, pois faz pouco tempo que está na usp.
 
bem, de qualquer maneira, estou quase batendo o teto
do cheque especial e gastei 100 pilas a toa essa
semana me escrevendo para a prova de linguas, quando
puderia ter sido dispensado de pelo menos uma das
provas com o histórico do mestrado. agora, já nem sei
mais se farei a seleção por aqui, pois nao escrevi
projeto e dos três professores que cursei disciplina
somente um apresentou uma vaga.
 
tive más notícias lá de fortaleza quanto a minha
família e isso me deixou mais abatido ainda. mais
brigas e confusões. se for mais barato ir para aí de
ônibus do que para fortaleza de avião, talvez acabe
passando uma semana ou uns dez dias por aí no
final/começo do próximo ano.
 
abrazos
cid
 
 
ps. na vida acadêmica, como na vida em geral, tudo
acontece muito devagar demais. tenho que nao me deixar
abater, pois aqui tem bem mais possibilidades de
publicação, mas é um trabalho de formiguinha e eu devo
ter bem mais paciência com tudo e com todos, incluindo
principalmente comigo mesmo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário