CONTRA O GOLPE CIVIL EM CURSO E A FAVOR DA DEMOCRACIA

domingo, 22 de junho de 2014

As Bodas de Canaã, c. 1495/97

Cristo é visto aqui na cena de seu primeiro milagre - a transformação da água em vinho. Ele permanece na mesa do banquete, sua mão direita erguida em gesto de benção, enquanto um criado indica um jarro de barro como que explicando o que havia acabado de ocorrer, oferecendo ao casal de noivos uma taça do vinho transformado.

Que o artista havia absorvido a tradição da pintura flamenca do século XV é evidente em sua maestria da técnica a óleo e sua representação meticulosa de texturas e mínimos detalhes. Combinado com esses elementos se encontram os puramente hispânicos tais como as faces solenes com bocas voltadas para baixo e costumes reconhecidamente hispânicos.

O nome não identificado do artista é derivado de sua obra mais conhecida, O Retábulo dos Reis Católicos, do qual esse painel faz parte. Visível entre os dispositivos heráldicos são a insígnia das províncias unidas pelo casamento de Fernando e Isabel. A presença adicional do brasão de armas do Sacro Império Romano implica que As Bodas de Canaã também alude a dois casamentos contemporâneos significativos na história europeia - aquele  da filha de Fernando e Isabel, Joana em 1496 e do filho Juan em 1497 com o filho e a filha  do Imperador Sacro Romano Maximiliano I, da Áustria.

Fonte: National Gallery of Art. Nova York: Thames & Hudson, 2005, pp. 76.

Nenhum comentário:

Postar um comentário